Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Marta Velha - Writer

Marta Velha - Writer

E tu, já tens o teu?

07.02.24, Marta Velha
       E tudo o mar levou, o meu número cinco como carinhosamente gosto de lhe chamar!         A ideia surgiu numa visita à cidade da Póvoa de Varzim, depois de ler sobre a tragédia passada em 1892, nos azulejos da fachada da igreja da Lapa, imediatamente a ideia surgiu! E cá está ela, em forma de livro,  desde 2019!       Atrevam-se a conhecer este meu trabalho!! 

E tudo o mar levou! :)

24.01.24, Marta Velha
E tudo o mar levou! Já conhecem?  Baseado em factos reais! Em 1892 aconteceu uma tragédia no mar da Póvoa de Varzim onde mais de 100 homens faleceram!Um romance que faz lembram todos aqueles que perderam a vida no mar! Um romance que mostra que o amor ao mar pode ser mais forte que todos os outros amores! Ainda tenho alguns exemplares para venda, como são os últimos o valor é de 6€ (antes eram a 12€). Este valor incluí o envio em CTT editorial. Atrevam-se!  

E tudo o mar levou! :)

27.01.23, Marta Velha
20 janeiro de 1892 O mar é um monstro!! Assusta‑me tanto. As ondas levantam‑se de repente. Parecem paredes. O barulho das águas é ensurdecedor! Hoje chorei com medo. Medo da morte, medo de perder, medo dos barcos, que pareciam brinquedos em cima da água. Tenho medo de perder para este monstro! O Bilhanos abraçou‑me, disse que tudo ia ficar bem. Ali nos seus braços tive a certeza que ele cumpriria a promessa. Faltam uns dias para o nosso casamento. Ando tão feliz! Às vezes (...)

E tudo o mar levou! :)

26.01.23, Marta Velha
1 de janeiro de 1892 Começa hoje um novo ano! Que seja um ano cheio de coisas boas. O Bilhanos falou em casamento. Fiquei tão feliz. Confesso que gosto dele. Quer casar já!Mas se calhar ainda é tão cedo! O paizinho ainda não sabe de nada! Talvez seja melhor esperar mais um mês. Ainda somos novos, nada se está a perder.Sei que o amo e ele não compreende esta espera. Uns dias, só mais uns dias.Falamos ao senhor padre e casamos na praia! O paizinho vai morar connosco, mas ele não (...)

E tudo o mar levou! :)

21.01.23, Marta Velha
23 de dezembro de 1891 Cheguei ontem. Quase morri com o susto! Tanta areia, tanta mas tanta água. Ficámos numa casinha de madeira. Tão linda, tão aconchegante… o paizinho ficou horas sentado na areia a olhar para a água. As ondas iam e vinham, tive tanto medo! A água gritava. Rugia como gatos selvagens. Os pequenos barquinhos eram açoitados por toda aquela fúria. Por instantes pensei que nos quisesse engolir! Foi uma tolice de minha parte! A água não engole ninguém! O medo (...)

E tudo o mar levou! :)

20.01.23, Marta Velha
Dezembro de 1891 A mamã faleceu. Dizem que foi tifo. O paizinho está de rastos. Não come, não fala nem reage a nada há mais de três dias. Vendeu a cabra que tínhamos. Diz que amanhã partiremos de Moinhos do Lindo, quer sair daqui. Quer ir para longe de tudo o que lhe lembra a mãezinha. Começou a falar do mar. Diz que quer ver o mar antes de ser levado por Deus Nosso Senhor. O ti Jaquim da taberna falou‑lhe de um lugar mágico. Diz que se chama Póvoa do Varzim, Abonemar. Não (...)

E tudo o mar levou! :)

27.07.22, Marta Velha
     'E tudo o mar levou' é o meu quinto livro! Baseado num facto real, ocorrido em 1892. A ideia para este livro surgiu numa visita à bonita cidade da Póvoa de Varzim, e após uma visita à igreja da Lapa onde um painel de azulejos relata o que se passou em  Fevereiro de 1892. Quando li o que estava no painel só pensei 'Tenho que escrever sobre isto!'  E apareceu assim este livro!      Já leram? atrevam-se   https://empo (...)