Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Marta Velha - Writer

Marta Velha - Writer

Eu não fechei os olhos!

25.06.22, Marta Velha

     Tem dias em que acordamos com noticias que custam tanto, mas tanto a suportar! A da pequena Jéssica foi apenas mais uma dessas noticias!

     De tudo o que lemos e ouvimos através das noticias eu pergunto-me: como é possível tanta gente assobiar para o lado? Nunca ninguém se apercebeu? Nunca ninguém tentou sequer fazer perguntas? 

     Vou contar-vos o que me aconteceu em 2019... 

     Um familiar meu teve bebé em Março de 2019, eu sempre achei que havia ali alguma coisa estranha no tratamento desse bebé... Questionei, tentei ajudar, dei tempo para a adaptação... Mas em 8 meses após o nascimento as coisas continuavam iguais ou piores!

     Ameacei com queixa na CPCJ! Comecei a ser um bocado olhada de lado e a resposta que eu dava era sempre a mesma: 'Prefiro pecar por excesso de zelo do que um dia estarmos todos no programa do Goucha a ser julgados por negligência! E a tragédia ficar para sempre na nossa consciência! ' - a resposta era sempre a mesma, em tom de brincadeira, em tom sério!

     Liguei para a CPCJ, marquei entrevista com a doutora que me atendeu. Fui ouvida, foram tomadas notas, perguntaram se queria fazer queixa anónima (fazia questão que soubessem que tinha sido eu a fazer a queixa! Daí ter recusado o anonimato) No mesmo dia liguei para a médica de saúde do bebé a fazer perguntas, resposta a uma delas: 'realmente notámos que há ali algo estranho mas...'  Este 'mas' quase que me matou! 

     Quando saí da CPCJ, no carro, fiz muitas perguntas a mim mesma! Senti-me mal porque se calhar era eu que estava a ser muitoooooooo zelosa! Mas depois a vozinha interior dizia 'se não for nada o processo é arquivado'

     Resultado desta minha queixa: o bebé foi retirado aos pais, que o podem visitar regularmente, podem ter fins de semana com ele, e fazem avaliações periódicas para ver se têm condições não financeiras mas psicológicas para tomarem conta do pequeno H. Ainda hoje, 3 anos depois o bebé está aos cuidados da avó materna!

     Sempre que vejo noticias como a da pequena Jéssica, só penso: ainda bem que fiz queixa! Porque podia ser o pequeno H.

     Já agora, tenho a certeza que os pais do H. o amam! Mas também tenho a certeza que não têm capacidades para cuidar dele!

     Se me arrependo do que fiz? Sempre que vejo estas noticias dou graças a Deus por o ter feito! Se é preciso coragem para o fazer quando se trata de sangue do nosso sangue? Sim é! É preciso muito coragem, mas também é preciso muito amor!

 

 

     

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.