Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Marta Velha - Writer

Marta Velha - Writer

E tudo o mar levou! - Diário de Francelina Maravalha março 1982

16.04.24, Marta Velha
Do livro 'E tudo o mar levou'Março de 1982. Se havia homem que eu amava nesta vida, era o mestre Maravalhas. Passamos anos tão felizes. Foi tão bom! Amei‑o. Amei‑o muito! Sempre que ele saía para o mar mesmo que fosse de madrugada, eu ia espreitar, ia espreitar as ondas, ia ver o barco afastar‑se. Por vezes senti medo. Medo que ele me fosse tirado. Medo de o perder. Eu sabia que se isso acontecesse parte de mim ia com ele. Aconteceu! O mar levou o único homem que amei nesta (...)

E tudo o mar levou! - Diário de Adriano Maravalhas Setembro 1986

15.04.24, Marta Velha
  Do livro 'E tudo o mar levou'Setembro de 1986 Mais uma tragédia, mais companheiros de labuta levados pelo mar. Estivemos na igreja de Caxinas. Quatro homens mortos, felizmente o mar devolveu os corpos. A missa foi muito sentida. Não somente pelos homens que morreram mas por todos os outros que foram lembrados. Quando me lembro de um dos filhos do Aleluia a chorar agarrado à mãe só me lembro da minha menina. Ele é pouco mais novo que ela. Chorava amargamente. Os seus gritos (...)

E tudo o mar levou! - Diário de Adriano Maravalhas Abril 1982

14.04.24, Marta Velha
Do livro 'E tudo o mar levou'Abril de 1982A minha menina já corre tudo. Fala que nem um papagaio. Tem um sorriso do tamanho do mundo. Quando estou nas ondas do mar debaixo de uma tempestade tremenda, só me lembro do sorriso dela! Daquela mãozinha maravilhosa a dizer‑me adeus e da sua voz de anjo a dizer que gosta de mim! Penso nela e na minha mulher tantas e tantas vezes.O meu pai foi levado pelo mar. A minha Antonieta chorou tanto! O meu coração partiu‑se por muitas razões, pela (...)

E tudo o mar levou! - Diário de Adriano Maravalhas setembro 1979

13.04.24, Marta Velha
Do livro 'E tudo o mar levou'Setembro de 1979Hoje o dia acordou cinzento, mas se eu adivinhasse como ia ficar colorido não tinha andado tão azedo durante toda a manhã. Tinha acordado maldisposto. Cinzento como o tempo, como me disse a mãe. Saí para a praia. Apenas o mar me acalma. E hoje eu precisava de ver o mar. De ouvir o mar. Fiquei sentado nas redes. O ti Jonas do Peixe andava por ali e eu fiquei a ouvi‑lo contar histórias de outros tempos. De outros portos. De outros mares. E (...)

E tudo o mar levou! - Diário de Adriano Maravalhas 25 dezembro 1970

12.04.24, Marta Velha
Do livro 'E tudo o mar levou' 25 de dezembro de 1970 Hoje faço 16 anos. Uma data de muitas decisões. Hoje foi um Natal e um aniversário muito diferente. E eu que achava que a minha família era perfeitamente normal. Como prenda o meu pai deu‑me o que eu pensava ser um livro. E logo ele que nunca pegou num livro na vida, isto pensava eu! Afinal eu achava que era um livro, mas não! Era um diário, um diário! Vejam bem! Um diário que agora é meu! Tipo herança! E mais! Um caderno de (...)

E tudo o mar levou! - Diário de João Afonso Maravalhas 22 fevereiro 1954

09.04.24, Marta Velha
Do livro 'E tudo o mar levou'22 de fevereiro de 1954A Francelina nunca se me confessou, mas sinto que sente um desgosto de morte por ainda não ter filhos. Não sei o que se passa, mas não há meio da mulher engravidar. Acho que a culpa é minha mas ela diz que não. Eu sinto‑me mal. Sou o único que ainda não tem descendência. Fosga‑se!! Um homem tem que ter filhos! Para ensinar a andar de bicicleta, a nadar neste mar revolto, saber o que é atirar‑se de cabeça nesta água bem (...)

E tudo o mar levou! - Diário de João Afonso Maravalhas 20 setembro 1951

08.04.24, Marta Velha
Do livro 'E tudo o mar levou'20 de setembro de 1951Para quem não queria escrever nada, passo agora aqui tempo de mais, mas os homens desta família estão todos condenados ao mar e a este diário? Ai a minha vida. A minha vida e a minha cara!Então não é que ontem levei com um carapau na cara?? Foi uma risada completa na lota! E eu é que ia adivinhar que a Francelina andava caída por mim? Nunca imaginei. Ora claro que falávamos! Não há nenhum rabo de saia com o qual eu não fale! (...)

A tua imperfeição! Para recordar! :)

07.04.24, Marta Velha
Disseste-me que eras um homem comum, simples, cheio de defeitos e imperfeições. Na altura não acreditei em ti. Para mim eras mais que especial! Comecei a amar aquilo que via, aquilo em que acreditava que eras. O tempo mostrou-me que eras mais especial ainda. Mas também me mostrou o teu outro lado. Aquele que sempre tiveste medo que eu visse, mas que sempre disseste que tinhas.    Não me importo que às vezes também estejas de mau humor! Não me importo que às vezes queiras estar (...)

E tudo o mar levou! - Diário de João Maravalhas 2 novembro 1947

06.04.24, Marta Velha
Do livro 'E tudo o mar levou' 2 de novembrode 1947 Os homens não choram! É isso que nos dizem, sempre! Mas ontem eu chorei. Chorei muito. Era um dia como tantos outros. Cinzento. Nada de chuva nem de vento, mas isso que significa? As intempéries aparecem num instante! Meu Deus, esta dor no peito. Esta perda dos meus! Havia barcos a entrarem no porto, eu mesmo os vi. Poucos. Havia desânimo na cara dos homens. O peixe que traziam não dava para nada! Nada! Alguém gritou que em (...)